ARTIGOS E PUBLICAÇÕES
Congelamento de óvulos e preservação da fertilidade
Os avanços em técnicas de reprodução humana permitiram grandes benefícios para as mulheres que desejam preservar a fertilidade e postergar a maternidade por diferentes motivos, como carreira, saúde, riscos de infecção pelo Zika Vírus; ou simplesmente porque ainda não foi encontrada uma pessoa com quem deseja dividir a missão de gerar, criar e se emocionar com um filho.

O congelamento de óvulos é bastante indicado para mulheres que passarão por tratamento quimioterápico ou radioterápico. Mas muitas mulheres têm planejado engravidar após sua estabilização profissional, e isso pode ocorrer após os 35 anos, considerada uma faixa etária tardia do ponto de vista biológico. A fertilidade está diretamente ligada a idade da mulher. Uma mulher nasce com cerca de 7 milhões de óvulos; na primeira menstruação já se reduzem a 500 mil óvulos; aos 42 anos, têm-se menos de 25 mil óvulos. Além da redução da quantidade de óvulos, sua qualidade é afetada por fatores externos, como uso de medicaçõesm, radiação, poluição entre outros. Os óvulos de uma mulher com mais de 40 anos, em sua formação, têm mais riscos de sofrer um processo de divisão celular com assimetria no número de cromossomos. Isso leva à geração de óvulos com um número diferente de cromossomos que deveria haver, aumentando-se o risco de um bebê com síndromes genéticas por alterações cromossômicas, como a síndrome de Down.

Diante deste cenário, as mulheres podem optar por congelar seus óvulos quando eles ainda estão em excelentes condições, e depois utilizá-los para que a gravidez aconteça no momento que ela julga ideal.

Atualmente as técnicas utilizadas incluem o congelamento rápido ou vitrificação dos óvulos: o processo é rápido, submetendo o óvulo à baixas temperaturas de forma abrupta. Há menos formação de cristais e permite uma excelente recuperação dos óvulos.

Ao se decidir pelo congelamento de óvulos, a paciente inicia um processo de hiperestimulação controlada dos ovários e monitorização do desenvolvimento de folículos ao ultrassom. Esse processo dura cerca de 10 dias. Por volta do 12º dia é feita a coleta dos óvulos, puncionando-os com uma agulha guiada por ultrassom. Depois de aspirados os óvulos passam pelos procedimentos laboratoriais adequados para então serem selecionados, e posteriormente congelados.

Podemos encarar o congelamento de óvulos para preservação de fertilidade como um seguro, porém de algo muito mais importante. E quanto mais precoce for realizado, maiores serão as possibilidades de haver óvulos guardados para tentativas de gravidez futuras.
VOLTAR
© 2019 Todos os direitos reservados. Dr. José Vitor Zanardi. Desenvolvido por Opção Comunicação